body simarchetto: The repression of the excluded

miércoles, 3 de marzo de 2010

The repression of the excluded

BOPE: One of the most efficient urban combat troops in the world. 

The police is an institution that was created to be violent and corrupt, to protect the State and the elite.
In Rio de Janeiro, Brazil, the policy of repression in the name of the State maintains 2 million people of the "favelas", all those people who have been excluded by the society, calmed and under the control.

A documentary about the conflicts generated by the drug traffic in Brazil.  



Rio de Janeiro has got more than 700 favelas. Almost all of them crowded with drug dealers armed to their teeth. They're armed with AR-15, Pisto-UZI, H&K and so on.
Everywhere else in the word those weapons are used in wars. But in Rio, they're the weapons of crime.

Trailer for the Brazilian movie Elite Squad [Tropa de Elite] [2007].





6 comentarios:

  1. W TUTTE LE DONNE DEL PIANETA
    ciao Michele pianetatempolibero

    ResponderEliminar
  2. Olá Silvia como vai?
    VocÊ gosta de falar do Brasil? Nós aqui no Brasil temos muitos estados e cidades, onde a policia e a corrupção não é como no Rio de Janeiro. No entanto, algumas cidades no norte e nordeste do Brasil, assim como o Rio de Janeiro, tem sistemas de corrupção politica e drogas muito grande e fora do controle. Em alguns estados como no sul e sudeste do Brasil, existem mais controle da situação e apenas os problemas que vemos em paises do primeiro mundo. Nosso país vem melhorando na questão social, mas ainda falta muito.
    Obrigado por seguir o meu BLOG. Gosta de ROCK?
    Seja bem vinda, é um prazer tê-la como seguidora. Tenho parentes em Barcelona (Manresa), sou filho de espanhol e amo esse país.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Good post--the drug war in Brazil is a real mess.

    ResponderEliminar
  4. Oi Fernando, eu vou bem e você? :)
    Eu sou brasileira, do sul, então eu entendo as diferenças políticas  que existem entre um estado e outro como você comentou. Sabemos que o Brasil não é um país tão violento como se acredita ser aqui no exterior, onde uma idéia errada e generalizada do que acontece por lá é divulgada. E no Rio, a violência parece estar controlada apesar da guerra declarada contra as favelas. Pelo menos parecia estar há 7 anos quando saí do Brasil, e é o que se relata no documentário sobre o Bope.
    A parte que postei do documentário se refere ao "sofisticado" método de repressão que o Bope emprega, principalmente nas favelas, ao manter os excluídos da sociedade sob controle. Na verdade esse método sofisticado nada mais faz que cansar o país, gastar fundos públicos e acentuar a "identidade de excluído" das "aberrações", como são chamados pela sociedade ( e criadas pela mesma). Na minha opinião, o Bope fracassa ao não eliminar os problemas e ganâncias gerados pelo tráfico, e indício desse fracasso é o ônibus com civis queimado há algumas semanas pelas aberrações da Cidade de Deus. Mas talvez não era mesmo esse o objetivo até agora. Educação e reinserção desses indivíduos à sociedade, junto com a legalização da canábis, poderiam ser armas muito mais eficazes no combate a esse "terror"; mais eficazes porém menos lucrativas, não? ;) Com a aproximação da Copa e as Olimpíadas no Brasil, esse panorama enfim terá que mudar.
    Dissertar sobre o tráfico de drogas no Brasil e no mundo envolve muito fatores a serem analisados, requerendo tempo e disposição. Eu espero chamar a atenção de alguns "aqui fora" pro assunto e que o material postado sirva um pouco à elucidação do tema.  
    A quem interessar, o documentário sobre o Bope está disponível inteiro no YouTube.
    Rock é o som q eu mais curto e Pearl Jam é uma das minhas bandas favoritas ;)
    Um abraço, e obrigada pela participação!

    ResponderEliminar
  5. Oi, Silvia. Muito legal o seu blog.
    Quanto à violência no Brasil - e no Rio, em especial -, concordo plenamente com você. No meu caso, que sempre andei pela cidade a pé e a qualquer hora do dia ou da noite, a única violência que me assusta é a da classe média. Nunca fui assaltado, mas já sofri várias tentativas de atropelamento ao atravessar a rua em sinais e até sobre a calçada, em frente a entradas de garagem. Além disso, é com o apoio da classe média que os governos investem na repressão aos favelados, em vez de investirem na educação e em outros setores que beneficiariam a massa proletária. Como bem disse o Marcola, poderoso chefe do tráfico em São Paulo, "essa é uma guerra que vocês vão perder, porque sempre estaremos melhor armados que a polícia e porque temos menos a perder".
    Estarei atento a suas postagens. Um abraço

    ResponderEliminar
  6. I saw this film, it seemed that the elite were trained more for survival and command than anything else. The police system itself was cannibalizing itself and corrupt. But this group must never be SEEN to die, so inspire terror, thus they allow the drugs to continue if the group is large enough and smart enough. Reminded me of aspects of Japanese policing. Since the 'War on Drugs' in the US - now 1 in 4 people in prison are in US prisons, and 50% of them on drug charges. And the US is still the largest importer of drugs in the world - THAT's capitalism.

    Thanks again for this post, reminded me of a lot of things.

    ResponderEliminar

Videos

Loading...